13 de jul de 2009

Um interesse faccioso

Professor Waldir Maranhão

O mesmo segmento da imprensa de São Paulo, cujo governador é o candidato tucano à sucessão do presidente Lula, divulgou mais uma matéria com ataque frontal ao senador José Sarney. Partindo de suposições tendenciosas, desta vez contra a fundação que leva o nome do ex-presidente da República, o repórter-emissário chega a conclusões afoitas e distorcidas, tudo a serviço de um poderoso grupo político-empresarial que quer a todo custo retomar o comando do país.

Esgotado o rol de ofensas ao parlamentar José Sarney, eis que agora se voltam para a fundação que tem como presidente de honra. Embora sabendo que o senador não participa da administração da entidade, assacar contra ela foi a forma que encontraram para tentar solapar a imagem e o prestígio do ex-presidente da República.

Ninguém desconhece que esse ataque, sob a aparência de uma investigação jornalística, é na verdade a seqüência de uma campanha difamatória que já se arrasta há cinco meses. A acusação de que a entidade teria feito má utilização de recursos recebidos da Petróbras busca na verdade forçar a instalação de uma CPI contra a empresa, objeto de grande disputa no Senado Federal.

A correta aplicação dos recursos foi afirmada em nota pelo presidente da fundação, José Carlos Sousa Silva, pessoa sempre respeitada pela forma digna e responsável como conduz sua vida e seu trabalho. O exame criterioso das contas pelo Ministério da Cultura e pelo Tribunal de Contas da União terá muito mais valor que os mexericos de um repórter que aqui não veio em busca da verdade, mas tão-somente com o propósito de alimentar um pretenso escândalo. Quem leu a matéria notou claramente a afoiteza das conclusões.

Como todos se lembram, esses ataques começaram com a vitória do senador Sarney para presidência do Senado Federal. Sua eleição favoreceu a aliança do PMDB com o partido do presidente Lula, o PT, e ninguém desconhece que essa coligação se torna imbatível nas eleições presidenciais de 2010. Está aí a origem de toda essa enxurrada de ofensas, distorções e intrigas.
Os interesses político-empresariais que promovem essas agressões estão transformando a político nacional num verdadeiro pântano.

O certo é que a perseguição ao presidente do Senado Federal, por conta dessas motivações, precisa ser denunciada à nação. Os brasileiros precisam saber que um seguimento da imprensa do sul do país usa seu poder para destruir a reputação dos que não se submetem aos seus caprichos e interesses. Acham-se poderosos o suficiente para determinar quem deve ou não governar o país. Querem interferir nas decisões políticas do PMDB, especialmente na questão sucessória, a partir do constrangimento, da ofensa, da intimidação.

Inconformados por não terem os peemedebistas na candidatura tucana, o que eles desejam mesmo é forjar um ambiente de rejeição ao ex-presidente José Sarney, imaginando, com isso, quebrar o entusiasmo da possível aliança PT-PMDB. Mas não serão mais uma vez derrotados no embuste que tentam construir.

Deputado Federal licenciado e presidente da Executiva Regional do Partido Progressista

2 comentários:

  1. Apesar de vc ser um amigo ingrato anexei o seu blog nos meus favoritos.
    um abraço
    Anselmo

    ResponderExcluir
  2. Caro deputado Waldir Maranhão, entre nesse blog e leia a matéria sobre sua visita a Timon

    www.tribunadomaranhao.com.br/blog/strongblog-ademar-sousastrong-21/

    ResponderExcluir