29 de jun de 2010

Convenção estadual do Partido Progressista homologa candidatos às eleições

O Partido Progressista realiza nesta terça-feira (29) a convenção estadual que irá homologar os candidatos às eleições gerais de outubro. O evento democrático vai reunir cerca de 1.500 militantes de todas as regiões do estado (Ginásio do Colégio Dom Bosco, bairro Renascença, em São Luís), além de 92 delegados, presidentes de 37 diretórios municipais e mais representantes de 15 comissões provisórias e aproximadamente 70 comissões provisórias municipais em formação. Estarão presentes também os três deputados estaduais, 101 vereadores e 10 prefeitos eleitos no pleito de outubro de 2008.

"Vamos fazer uma grande convenção para que os objetivos de nosso partido sejam conhecidos, assim como estabelecer uma linha programática para a campanha que se inicia”, explica o presidente do diretório estadual, deputado federal Waldir Maranhão.

O Programa - O ato convencional chamado de “Política de alianças proporcionais e majoritárias” começa às 14 horas. Meia hora após, será feita a análise de conjuntura e definição programática de “Um novo Maranhão”. Às 16 horas serão apresentadas as chapas proporcional e majoritária. Às 17 horas, ato político e pronunciamento do deputado Waldir Maranhão. Serão homologadas as candidaturas de 37 pré-candidatos à Assembléia Legislativa, três à Câmara dos Deputados e de Heber Waldo Silva Costa, o pastor Bel, ao Senado da República.

PARTIDO PROGRESSISTA - As origens do Partido Progressista estão ligadas ao processo de redemocratização do Brasil e à eleição de Tancredo Neves e José Sarney, presidente e vice-presidente da República, pelo Colégio Eleitoral em janeiro de 1985. Findo o governo de Fernando Henrique Cardoso, a Convenção Nacional do PPB decide, em 4 de abril de 2003, retirar da sigla PPB o "B", ficando apenas "PP".

O Partido Progressista aparece na segunda colocação nacional com número de filiados. Dos 11,5 milhões de eleitores filiados a partidos políticos, 11% ou 1,26 milhão integram a lista de progressistas. No plano municipal, o trabalho minucioso e coordenado dos 27 diretórios estaduais permitiu a eleição de 553 prefeitos em 2004. O resultado manteve o partido entre as quatro maiores agremiações políticas do país. Em 2004, o Partido elegeu 4.276 vereadores, um número que coloca o PP mais uma vez entre os quatro maiores partidos do Brasil. Naquele ano, o Partido Progressista registrou menos candidatos que as grandes legendas, mas teve o terceiro melhor aproveitamento final, elegendo 43,8% dos seus candidatos.

Enquanto muitas legendas viram sua existência ameaçada pela regra da cláusula de barreira, o PP teve novamente seu esforço recompensado, passando ao largo das questões que consternaram os pequenos e médios partidos no último pleito. Nas eleições para a Câmara dos Deputados, o partido elegeu 41 representantes em 2006, firmando-se definitivamente como uma grande força no Congresso brasileiro. Foram mais de 6,5 milhões de votos espalhados por todas as unidades da federação, que fizeram do Partido Progressista uma das maiores instituições político-representativas do país.

Fonte: Assessoria de Comunicação

Nenhum comentário:

Postar um comentário